O absenteísmo no trabalho diz respeito aos atrasos e faltas frequentes dos funcionários, e é um dos principais índices a ser acompanhado pela área de recursos humanos de qualquer empresa.

Afinal, se os funcionários começam a faltar muito é sinal de que algo não vai bem com eles ou com a instituição. Além de interferir na produtividade e integração no cotidiano de trabalho. Suas causas são diversas, por isso, é preciso que os gestores estejam atentos às faltas e suas motivações, para atuarem de acordo em cada situação.

Acompanhe o post de hoje para entender as principais causas do problema e suas soluções!

Doenças e problemas de saúde

Os problemas de saúde causam inúmeras faltas diariamente. É importante ter em mente que essas doenças podem estar diretamente ligadas com o ritmo e o ambiente de trabalho, por isso o investimento em prevenção é sempre o melhor caminho.

Um levantamento de dados feito pelo INSS identificou as principais doenças que causam afastamento prolongado do trabalho: câncer de colo de útero, dor lombar, dor nas costas, hérnias de disco, pedra na vesícula, entre outros.

Algumas formas de diminuir a incidência de doenças entre os funcionários:

  • invista em ergonomia, como cadeiras e mesas confortáveis e equipamentos de proteção individual (EPI) de qualidade;

  • ofereça como um dos benefícios plano de saúde de qualidade;

  • promova programas de qualidade de vida, relacionados a alimentação saudável e prática de esportes.

Saúde mental

Nos últimos tempos, tem sido observado um aumento no índice de adoecimento por transtornos mentais entre os trabalhadores. Esse fenômeno está relacionado ao ritmo intenso de trabalho, alta pressão exercida pelos gestores, deficit de recursos humanos e materiais, jornadas de trabalho duplas ou triplas.

Aumentam os casos de depressão, ansiedade e estresse e, consequentemente, o índice de absenteísmo. Os gestores precisam buscas formas de instituir um ambiente de trabalho que promova a saúde mental. Algumas estratégias são:

  • abertura ao diálogo e apoio social;

  • programas de reconhecimento do estresse;

  • questionamento aos funcionários sobre os fatores que prejudicam a saúde mental no ambiente de trabalho.

Maternidade

Muitas mulheres apresentam dificuldades em conciliar a vida profissional e pessoal durante a maternidade, por acumularem muitas responsabilidade durante essa fase. Imprevistos com doenças e compromissos com os filhos podem gerar atrasos e faltas, principalmente por terem que ser resolvidos durante o horário de expediente.

A empresa pode e deve investir em formas de ajudar essa mulher a acumular suas funções, sem tem que se afastar do trabalho. Citamos algumas:

  • horários de trabalho flexíveis e homework;

  • folga mensal para a mulher nos primeiros anos de maternidade;

  • construção de creche no espaço físico da empresa;

  • prorrogação da licença maternidade para 180 dias.

Auxiliar as mulheres nessa jornada não é benéfico apenas para a empresa, mas para toda geração de crianças que crescerá mais próxima de suas mães.

Falta de motivação

Funcionários que não se sentem motivados e comprometidos são mais propensos a faltar e se atrasar, e usam justificativas como doenças ou imprevistos. Isso ocorre pois eles deixam de encontrar um motivo ou propósito na realização do seu trabalho, que deixa de ser importante.

A falta de motivação pode estar relacionado ao clima organizacional ruim da empresa, cargo inadequado, falta de perspectiva de crescimento, relação ruim com gestores.

O primeiro passo é identificar as causas, por meio de pesquisas de clima organizacional e de satisfação entre os funcionários.

O diálogo aberto entre gestores e colaboradores é o primeiro passo para o entendimento e solução do absenteísmo no trabalho.

E aí, gostou do texto? Então aproveite para seguir nossa página no Facebook e acompanhar nossas atualizações.

Publicado Por:  
Vinicius Dias – Analista de Marketing Digital