Uma das principais atividades de um gestor de RH é o preenchimento da folha de pagamento. Porém, para manter sua equipe de colaboradores, a empresa acaba desembolsando muito mais do que o salário bruto presente nesse documento.

Inclusive, segundo uma pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em conjunto com a Confederação Nacional das Indústrias (CNI), o verdadeiro custo do funcionário pode chegar a até três vezes o valor do salário pago.

Pensando nisso, elaboramos este post explicando como calcular o custo do funcionário para a empresa. Continue lendo e esclareça suas dúvidas!

Por que é importante descobrir o custo do funcionário para empresa?

Entender qual é o custo de cada funcionário da empresa não é uma tarefa simples, mas é fundamental para uma boa gestão de pessoas.

Aliás, a compreensão desse cálculo já é recomendada antes mesmo da abertura do negócio. Afinal, esses valores impactam diretamente o fator financeiro.

Outro ponto importante é que, quando a empresa não conhece o custo do funcionário, pode negligenciar os processos de recrutamento e seleção, sem ter a ciência de como uma contratação malfeita pode gerar gastos desnecessários.

Além disso, não podemos esquecer da questão jurídica. Não considerar ou até mesmo não recolher corretamente os valores previstos na legislação pode trazer problemas legais, como o ajuizamento de ações trabalhistas.

Quais aspectos devem ser considerados nesse cálculo?

Na hora de descobrir o custo do funcionário para empresa, é preciso levar em conta uma série de aspectos.

O elemento mais óbvio é o salário, mas ele não é o único! Ainda devemos calcular as incidências sociais e trabalhistas sobre seu valor. Portanto, são inclusos os custos do FGTS, INSS, 13º salário, férias, entre outros.

Caso os colaboradores recebam benefícios complementares, como plano de saúde ou vale refeição, eles também fazem parte do custo total.

Em uma análise mais aprofundada, ainda existem os custos indiretos, que são aqueles necessários para a atividade profissional do funcionário.

Por exemplo, o custos dos suprimentos operacionais, das instalações físicas e dos equipamentos (como computadores, softwares ou EPIs).

Como é feito o cálculo para cada regime tributário?

Cada regime tributário apresenta encargos e impostos distintos, o que implica diferentes cálculos do custo do funcionário para empresa.

Para qualquer um deles, vale lembrar a importância da Provisão Mensal, um valor a ser guardado mensalmente, evitando imprevistos no caso de cumprir eventuais obrigações. Seu cálculo é Férias + 1/3 sobre férias + 13º salário + 8% de FGTS anual/12.

No mais, vamos conhecer melhor as porcentagens de cada regime:

Empresa do Lucro Real ou Lucro Presumido

Regime bastante consolidado no país, destinado para empresas de maior porte e cujos tributos são maiores.

  • FGTS: 8%
  • FGTS/Provisão de Multa para Rescisão: 4%
  • INSS: 20%
  • 13º salário: 8,33%
  • Férias: 11,11%
  • Salário Educação: 2,5%
  • Seguro Acidente de Trabalho (SAT): até 3%
  • Previdenciário sobre 13º/Férias/DSR: 7,93%
  • Alíquota de terceiros (INCRA/SEST/SEBRAE/SENAT): 3,3%

Empresa do Simples Nacional (Anexo I, II e III)

Regime simplificado para pequenas empresas, cujas alíquotas são mais baixas. Logo, sua tabela tem menos encargos.

  • FGTS: 8%
  • FGTS/Provisão de Multa para Rescisão: 4%
  • INSS: 8%
  • 13º salário: 8,33%
  • Férias: 11,11%
  • Previdenciário sobre 13º/Férias/DSR: 2,33%

Empresa do Simples Nacional (Anexo IV)

Dentro desse regime existem algumas variações. No caso das empresas que se encaixam no Anexo IV, surgem duas diferenças em relação ao caso anterior:

  • INSS: passa de 8% para 20%
  • Alíquota RAT: esse valor que financia acidentes de trabalho passa a ter incidência. Ele varia entre 1% e 3%, a depender do tipo da empresa.

A legislação trabalhista brasileira é bastante complexa, o que torna comum ter algumas dúvidas sobre o assunto. Nesse contexto, não saber calcular o custo do funcionário para empresa pode ser perigoso para sua manutenção e desenvolvimento.

O trabalho de um contador sempre é indispensável nesses casos. Além disso, o gestor de RH deve se manter informado sobre o assunto, a fim de manter a conformidade com as leis e a motivação de sua equipe.

Gostou do post sobre como descobrir o custo do funcionário para empresa? Aproveite para assinar a newsletter e ficar por dentro das nossas novidades!