A gestão de benefícios, em qualquer empresa, deve ser bem pensada para que os funcionários tenham acesso aos produtos e serviços de qualidade. Nesse aspecto, muitos gestores e empresários se pegam em dúvida sobre fornecer a cesta básica ou o vale-alimentação para a sua equipe.

Neste post, nós nos propomos a ajudá-lo. Listamos abaixo diversos aspectos que devem ser considerados sobre os dois benefícios. Desse modo, será mais fácil escolher qual deles se adéqua melhor à realidade do seu negócio e dos trabalhadores. Fique atento, confira o nosso comparativo e saiba qual é a melhor opção para a sua empresa.

Valor

Quem vai ao supermercado com frequência já conhece bem os preços dos produtos que mais consome e também sabe que eles costumam subir a todo instante, principalmente quando a inflação está dando sinais de descontrole. Como o valor do vale-alimentação é fixo, o funcionário deve se programar mensalmente para saber o que vai comprar.

O mesmo não acontece com a cesta básica, pois a empresa parceira que é responsável por esse benefício faz compras em larga escala, diminuindo o valor dos itens e mantendo o preço deles por mais tempo. Isso ajuda a equilibrar a oferta de itens que vão na cesta e, ao mesmo tempo, manter o padrão de qualidade dos produtos.

Dessa forma, o poder de compra com o vale tende a ser flutuante, pois os preços dos produtos apresentam oscilações constantes.

Produtos

Cabe ao funcionário a escolha dos produtos que serão adquiridos com o vale-alimentação. Esse é um ponto positivo, pois ele compra os itens que deseja. O problema é que essa liberdade nem sempre é usada de maneira positiva e muitos trabalhadores optam por trocar o valor do benefício por dinheiro — uma prática proibida por lei.

A cesta básica cumpre com o seu papel e fornece exatamente os produtos que foram acordados na contratação do plano. A escolha deles é baseada em critérios mais técnicos, como a qualidade da saúde do funcionário. O fornecimento da cesta dificulta a comercialização dos produtos e aumenta a garantia do propósito do benefício.

Por mais que o valor do vale-alimentação seja algo que desperte a atenção do funcionário, pode ser que ele não seja usado corretamente.

Taxas

Para a empresa, a opção pelo vale pode se justificar no fato de que ele é um benefício que não está sujeito a tributações fiscais. O valor que é recebido pelo funcionário também não entra no FGTS ou no cálculo de verbas rescisórias.

Entretanto, as taxas que são cobradas dos estabelecimentos estão entre as mais altas, o que faz com que muitos deles optem por não aceitar o vale-alimentação.

A cesta básica também tem incentivos fiscais, devido ao seu enquadramento no Programa de Alimentação do Trabalhador. A diferença é que ela já entrega todos os produtos necessários para o consumo do funcionário. Isso colabora com uma boa alimentação e evita que ele tenha que procurar pelos estabelecimentos que aceitam o vale.

Como as taxas do vale são altas, muitos estabelecimentos optam por não aderir ao uso dele. Entre os que aderem, alguns aumentam o valor dos produtos para que possa compensar a venda nessa modalidade.

Localização

O vale-alimentação exige que o funcionário saia de casa e vá até o estabelecimento mais próximo que aceita essa modalidade de pagamento. Sabemos que um dos grandes defeitos das cidades brasileiras é a infraestrutura e o transporte público, portanto, pode ser que o trabalhador more longe de um desses estabelecimentos.

A cesta, ao contrário, vai até à casa do trabalhador. No dia combinado por mês, os produtos são entregues pela transportadora. Isso torna mais fácil a rotina das famílias, que nem sempre têm carro ou dinheiro para o táxi. Os grandes deslocamentos também são cansativos e, em muitos casos, perigosos.

Motivação

O valor do vale-alimentação é um dos principais fatores motivacionais entre os funcionários que recebem o benefício. Um dos motivos é a liberdade de escolha dos produtos nos supermercados e grandes atacados que aceitam essa modalidade de pagamento. Entretanto, essa escolha nem sempre é consciente.

O recebimento dos produtos em casa numa cesta básica também é um fator que contribui com a motivação dos funcionários. Saber que a organização se importa com a qualidade de sua alimentação é algo que não tem valor. Esse benefício cumpre bem o seu papel de contribuir com o fornecimento dos nutrientes necessários para uma saúde estável.

Ambos os benefícios são vistos como importantes para a motivação dos funcionários, pois é algo que afeta diretamente a produtividade da equipe.

Logística

A logística do vale-alimentação é muito simples: basta contratar na operadora do cartão e solicitar o envio para a casa do funcionário ou a sede da empresa.

Uma vez que o trabalhador possui o vale, ele pode fazer a utilização sempre que tiver créditos. É importante verificar com a operadora os custos e taxas em caso de perda, roubo ou extravio.

A cesta básica também tem uma logística prática e simples. No caso dela, a empresa contratada para o fornecimento do benefício também se responsabiliza pela entrega. Sendo assim, você não deve se preocupar com os itinerários, horários e demais aspectos relacionados à entrega.

Nos dois casos, é importante cobrar a empresa contratada para que ela cumpra tanto com a entrega da cesta quanto a disponibilidade do vale.

Saúde

Quando o trabalhador está bem alimentado, a sua saúde melhora e ele fica mais disposto no trabalho. O vale até possibilita o acesso aos itens de qualidade superior, entretanto, em menor quantidade — isso se o funcionário realmente utilizar o benefício para fazer a compra de produtos alimentícios.

A cesta pode ser escolhida exatamente com base nesse critério, ou seja, a saúde do funcionário. Os itens selecionados devem oferecer os nutrientes, vitaminas e minerais necessários para que o trabalhador e sua família estejam abastecidos por produtos básicos que fazem parte do dia a dia do brasileiro.

Agora que você sabe quais são as diferenças entre a cesta básica e o vale-alimentação, faça uma escolha consciente, de acordo com as necessidades dos seus colaboradores e aproveite para conhecer outras vantagens e benefícios da cesta básica.

Renato-fotoPublicado Por:
Renato Xavier- Diretor de Operações e Marketing