Os indicadores de desempenho são instrumentos de gestão fundamentais, por meio dos quais são realizados a avaliação e o acompanhamento dos serviços prestados no hospital. São de grande importância para o serviço, afinal, como é possível gerir algo que não é mensurado?

Quando pensamos no ambiente hospitalar, a diversidade de fluxos e serviços presentes em um mesmo local reforça ainda mais a necessidade de gestão por meio de instrumentos bem estruturados. Afinal de contas, o bom funcionamento do todo é o que determinará a qualidade de atendimento do hospital e a sua imagem.

Para isso, é preciso definir o que deve ser analisado na gestão hospitalar e, a partir disso, determinar os indicadores de desempenho. Apresentaremos, abaixo, alguns dos indicadores mais utilizados. Confira!

Indicadores de desempenho

Tempo médio de permanência

Esse indicador mostra a rotatividade do leito em operação e pode variar muito dependendo do perfil clínico do paciente e do tipo de procedimento pelo qual ele passou. Para o seu cálculo, deve-se dividir o número total de pacientes por dia durante um determinado período de tempo pelo número total que pacientes que receberam alta, foram a óbito ou transferidos no mesmo período.

Taxa de ocupação

Outro indicador operacional é a taxa de ocupação, que revela informações sobre os leitos usados no hospital, como o perfil de utilização, o intervalo de substituição e a própria média de permanência. Calculado com base no número de pacientes/dia e leitos/dia, esse é um importante indicador ao analisarmos o alto custo que os leitos hospitalares representam.

Faturamento

Indicador financeiro importante para toda a gestão administrativa do hospital, o faturamento avalia se o hospital é capaz de faturar sem sofrer significativas perdas. Para que essa avaliação seja feita da forma mais confiável possível, é necessário o correto registro dos procedimentos nos prontuários dos pacientes, garantindo a avaliação de dados que representem a realidade do hospital.

Estratégia para melhorar os resultados

A partir do resultado dos indicadores de desempenho, é possível elaborar estratégias que otimizem esses resultados encontrados de forma mais eficaz. Pensando nisso é que trazemos a cesta básica como uma ótima opção para reduzir custos e motivar trabalhadores.

Isso porque há o incentivo fiscal com dedução de até 4% no Imposto de Renda para os fornecedores de cesta básica. Além disso, as empresas que optam pela cesta básica ficam livres da cobrança de taxas como as que acontecem no uso dos cartões de alimentação e que variam de 5% a 6%.

Mais do que as questões financeiras, o fornecimento de cestas básicas para os funcionários traz outros grandes benefícios, como: permitir a melhora da saúde do funcionário e sua família, aumentar a satisfação do funcionário em relação à empresa, gerar motivação no funcionário — consequentemente aumentando a sua produtividade — e aumentar a integração entre o funcionário e a empresa.

Viu como são importantes os indicadores de desempenho? Foi possível compreender o que deve ser analisado na gestão hospitalar? E quanto às cestas básicas, você vive essa realidade no hospital em que atua? Compartilhe conosco as suas experiências deixando o seu comentário! 

 Publicado Por:
Vinicius Dias –  Marketing Digital