?>
Liderança e Motivação

A relação da Mulher na liderança e a lucratividade nas empresas

Tempo de leitura estimado: 5 min.

Desperta, faz a sua meditação, treina e, então, é hora de realizar a segunda parte da rotina da manhã. Café com a família e início das atividades profissionais que duram no minimo 8 horas.

Durante o dia, divide-se entre a empresa e a casa de forma maestral. Sim, essa é apenas uma mulher de toda a nossa sociedade.

Há diferenças físicas e comportamentais entre homens e mulheres. De acordo com estudos de Daphne Joel, pesquisadora da Universidade de Tel Aviv.  

O cérebro humano é um mosaico com características comuns a ambos os gêneros. Porém, o feminino tem uma dimensão entre 8 e 14% inferior ao masculino.

E não para por aí: o hipocampo, que é a zona associada à aprendizagem e a memorização, é maior nas mulheres; além de mesmo em atividades similares, homens e mulheres ativarem áreas distintas do cérebro.

A explicação científica auxilia na compressão das diferenças e do porquê as mulheres conseguem executar diversas tarefas ao mesmo tempo.

diferente da figura masculina que abrem uma caixinha de cada vez e focam em cada uma delas.

Assim como a atenção aos detalhes é o lado mais sensível para diferentes situações.

Saber aplicar essas nuances na vida pessoal e na profissional trazem inúmeros benefícios para o dia a dia das mulheres.

Mesmo assim, elas devem ficar atentas para que comportamentos e hábitos não interfiram no processo de aprendizado e desenvolvimento.

As mulheres e o mercado de trabalho

A Revolução Industrial contribuiu com a entrada das mulheres no mercado de trabalho. Anteriormente, elas eram as organizadoras do lar enquanto os homens eram os provedores.

Porém, apenas entre a Primeira e a Segunda Guerra Mundial é que este movimento se intensifica e elas passam a assumir funções antes tidas apenas como masculinas.

De lá para cá, observamos uma transformação do mercado para conciliar homens e mulheres em posições de diversos níveis, com algumas delas ainda estigmatizadas. Caso de manicure, professora de educação infantil e ensino fundamental I, entre outras.

Por outro lado, as mulheres mostram que são capazes de assumir responsabilidades e atividades antes tidas apenas como “para homens” – piloto de avião, mecânica, caminhoneira são alguns exemplos desses casos.

As características femininas agregam ao ambiente de trabalho, ao inserir novas perspectivas sobre temas, situações e relações que ficavam restritas ao olhar masculino.

Segundo Sally Helgesen, especialista em liderança e autora do livro How Women Rise: Break the 12 Habits Holding You Back from Your Next Raise (Como as Mulheres Chegam ao Topo: Elimine os 12 hábitos que impedem você de alcançar seu próximo aumento, promoção ou emprego, em português).

As responsabilidades em casa adiciona às mulheres habilidades como empatia, escuta e trabalho em equipe, as quais não costumavam ser encontradas nos ambientes de trabalho antes da chegada delas.

Quando colocadas e respeitadas, as características de homens e mulheres contribuem e se complementam para a geração de um ambiente de trabalho mais estruturado, multicultural e inovador.

Cargos de liderança

Também é científico que as mulheres são melhores líderes. Um estudo publicado pela Business Insider com 16 mil líderes indica que o sexo feminino superou em 14 das 16 competências analisadas.

A integridade, honestidade, capacidade de superar desafios mais difíceis, eficiência na gestão de equipe e mais iniciativa às colocam à frente dos homens. Outro hábito das mulheres que as destacam na liderança é perguntar o que pode ser melhorado aos liderados.

Atualmente, vemos o crescimento de líderes mulheres em diversos segmentos. E os resultados também são notórios.

Um dos exemplos brasileiros mais recentes é a chegada de Cristina Junqueira, uma dos cofundadores, ao cargo de CEO do Nubank. Ela faz parte dos 13% de mulheres que são CEOs no país.

Entretanto 19% já ocupam cargos de liderança nas empresas do Brasil, segundo o Insper em parceria com a Talenses, em posições de diretoria, vice-presidência e em conselhos.

Os segmentos que contam com mais mulheres na liderança atualmente são varejo, farmacêutico, cosméticos e bens de consumo.

sendo que as áreas com mais profissionais são RH, Marketing e Comercial.

Uma pesquisa da Page Executive realizada pelo PageGroup indica o aumento de 20% dos cargos de liderança ocupados por mulheres no ano de 2020. Isso se dá não apenas pelo melhor preparo delas, bem como pelo aumento de mulheres nos processos seletivos.

Por outro lado, as empresas têm buscado equilibrar os cargos ocupados por homens e mulheres dentro de suas empresas e companhias. 

Assim como já perceberam que ter executivas em seus times aumenta em 50% as chances de rentabilidade e 22% a margem EBITDA, de acordo com um estudo da consultoria McKinsey realizado na América Latina.

características marcantes das mulheres

Outro número que chama a atenção é o crescimento das mulheres nas empresas de capital aberto. O Teva Índices, em parceria com a Easynvest, mostrou que das 15 companhias listadas na B3 com valor de capitalização maior do que R$ 300 milhões mantém entre 22 e 50% de conselheiras mulheres.

Esses dados reforçam a previsão da Organização Internacional do Trabalho (OIT) de que as empresas com mulheres em postos de liderança obtêm mais lucro em seus negócios.

Como estamos falando do cenário brasileiro, 71% de 451 empresas entrevistadas, disseram que aumentaram o lucro de 5 a 15% contando com mulheres em cargos de liderança.

Com todas as características marcantes das mulheres, como autoconfiança, capacidade de influência, bom humor, resiliência e assertividade, destacam-se também os resultados nos negócios.

E ainda há o maior tempo dedicado ao lar e aos filhos, bem como a diferença salarial de até 22% menos do que os homens, segundo dados do Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos).

É possível equilibrar a vida profissional e pessoal de forma que a mulher contribua para o crescimento dos negócios, mas sem se privar das relações familiares, o que ainda é um desafio e tanto, principalmente para as que não ocupam cargos de liderança.

Compartilhe:
escrito por
Mariana Alves de Assis
Cofundadora e CEO da MA² Business and Communications Empreendedora, internacionalista, comunicadora e jornalista, com 10 anos de experiência, sendo quatro deles dedicados à empresas internacionais. Coordena os times de PR no Brasil e América Latina no desenvolvimento, implementação e gerenciamento de projetos de comunicação, incluindo interface de comunicação interna e externa; treinamento de equipes; produção de eventos; ações de marketing e relações institucionais. Desenvolvimento e implantação do programa de novos negócios, e programa de comunicação de empresas de segurança da informação. Apoiou a criação de área de inteligência digital de agências. É cofundadora da MA² Business and Communications, Conselheira na Medical Peptide e Co-Founder da Plataforma de Inovação Medical Help.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Guia dos principais benefícios para oferecer para funcionários

Baixe o Ebook Não, obrigado