?>
Educação Executiva

Absenteísmo no trabalho: entenda suas principais causas e soluções

Tempo de leitura estimado: 5 min.

Entenda como a ausência do trabalhador em seu posto de trabalho impacta a saúde da organização e saiba como remediar esse problema de forma efetiva em sua empresa.

O absenteísmo no trabalho diz respeito aos atrasos e faltas frequentes dos funcionários e é um dos principais índices a ser acompanhado pela área de Recursos Humanos de qualquer empresa.

Afinal, se os funcionários começam a faltar muito isso é sinal de que algo não vai bem com eles ou com a instituição. As causas dessa prática são diversas, por isso, é preciso que os gestores estejam atentos a esse sinal dado pelos colaboradores, atuando preventivamente ou de forma corretiva em cada situação.

Acompanhe este artigo para entender as principais causas do absenteísmo no trabalho e quais são os seus impactos nas empresas, além de descobrir como evitar esse problema!

Os tipos de absenteísmo em empresas

É fundamental começar a falar sobre absenteísmo lembrando que ele pode se apresentar de formas diferentes. Por mais que o resultado seja a ausência do profissional do local de trabalho, essa falta pode ser justificada, injustificada e até mesmo emocional. Entenda melhor esses quadros abaixo.

Justificado

O absenteísmo justificado é aquele que pode ser mapeado pela gestão da empresa, afinal, o colaborador explica porque está faltando. Esse comportamento está geralmente ligado a questões de saúde, quando um profissional fica doente, precisa ir a uma consulta médica ou está afastado depois de uma avaliação médica.

Faltas justificadas também podem ser de ordem pessoal, como problemas de família que precisam ser resolvidos, uma viagem de emergência ou um atraso na condução que fez com que a pessoa chegasse mais tarde.

De qualquer forma, nesses casos, é possível para o líder da equipe encontrar um motivo para o desfalque e reorganizar a rotina, evitando prejuízos no desempenho do time.

Injustificado

O absenteísmo injustificado é o não relatado à gestão e pode se tornar algo grave a longo prazo. Ele é mais difícil de ser identificado pelo RH e também de ser tratado. É necessário fazer uma análise mais profunda das folhas de ponto e do comportamento dos profissionais.

Esse tipo de faltas e atrasos ficam “fora do radar”. Pode ser aquele atraso de 1 hora todos os dias ou constantes saídas antecipadas. Também são faltas descontadas da folha de pagamento, mas que nunca são esclarecidas ou atestados por doenças que nunca são entregues.

A gestão fica sem saber o que está acontecendo já que o colaborador pode ou não estar falando a verdade. A pessoa pode tanto estar desmotivada quanto pode estar com problemas de transporte para chegar no horário, mas, como as faltas não são explicadas, o RH não fica sabendo.

Emocional

Um terceiro tipo de absenteísmo é o emocional, que acontece quando um profissional está no posto de trabalho, mas não está executando sua tarefa por algum motivo. Em geral, trata-se de um quadro provocado por problemas de ordem psicológica, como desânimo, preocupação, ansiedade e até mesmo burnout.

O absenteísmo emocional também é conhecido como presenteísmo, ou seja, a falsa sensação de presença. Mesmo chegando e saindo no horário, um colaborador que apresenta esse comportamento não é produtivo, não consegue bater metas e nem se engajar com a equipe.

Ainda que seja difícil de detectar, conseguir compreender os níveis e as causas do presenteísmo pode esclarecer muito sobre a qualidade do ambiente organizacional e sobre a saúde mental dos funcionários da empresa.

Os malefícios do absenteísmo para a organização

O absenteísmo atinge a empresa em todos os seus âmbitos. Internamente, as equipes de trabalho ficam sobrecarregadas e os funcionários presentes cada dia mais insatisfeitos. Os gestores perdem o controle das demandas e dos prazos a serem alcançados. Já externamente, os clientes ficam insatisfeitos, seja pelo descumprimento das tarefas dentro dos períodos acordados ou pela má qualidade do serviço prestado.

Tudo isso gera um resultado final negativo para toda organização: aumento de custos de operação, aumento de horas extras, menor produtividade, funcionários insatisfeitos… Ufa!

As 5 principais causas do absenteísmo no trabalho

Diante disso, é preciso entender o problema para encontrar a melhor solução. Você sabe quais são as principais causas do absenteísmo no trabalho? Veja a seguir.

Doenças e problemas de saúde

Os problemas de saúde causam inúmeras faltas diariamente. É importante ter em mente que essas doenças podem estar diretamente ligadas com o ritmo e o ambiente de trabalho, por isso o investimento em prevenção é sempre o melhor caminho.

Um levantamento de dados feito pelo INSS identificou as principais doenças que causam afastamento prolongado do trabalho: câncer de colo de útero, dor lombar, dor nas costas, hérnias de disco, pedra na vesícula, entre outros.

Prejuízos à saúde mental do trabalhador

Nos últimos tempos, tem sido observado um aumento no índice de adoecimento por transtornos mentais entre os trabalhadores. Esse fenômeno está relacionado ao ritmo intenso de trabalho, alta pressão exercida pelos gestores, déficit de recursos humanos e materiais, jornadas de trabalho duplas ou triplas.

Aumentam os casos de depressão, ansiedade e estresse e, consequentemente, o índice de absenteísmo. Para se ter uma ideia da gravidade do problema, a Organização Mundial da Saúde estima que a depressão será a principal causa de afastamento de trabalhadores em 2020.

Maternidade ou paternidade

A maternidade ou paternidade, em si, não é um problema, nem compromete a qualidade do trabalho na empresa. No entanto, muitos funcionários apresentam dificuldades em conciliar a vida profissional e pessoal durante essa etapa da vida, devido ao acúmulo de responsabilidades.

Imprevistos com doenças e compromissos com os filhos podem gerar atrasos e faltas, principalmente por terem que ser resolvidos durante o horário de expediente.

Auxiliar funcionárias e funcionários nessa jornada não é benéfico apenas para a empresa, mas para toda geração de crianças que crescerá mais próxima de suas famílias.

Falta de motivação

Funcionários que não se sentem motivados e comprometidos são mais propensos a faltar e se atrasar, usando desculpas como imprevistos e doenças para justificar a falta.

Isso ocorre pela falta de propósito na realização do trabalho, que passa a estar em segundo plano no dia a dia do trabalhador.

A falta de motivação pode estar relacionada ao clima organizacional ruim da empresa, ao cargo inadequado, à falta de perspectiva de crescimento ou a uma má relação com os gestores.

Processo de seleção ineficiente

Sabia que a causa do absenteísmo no trabalho pode estar no processo de seleção da empresa? A contratação de profissionais que não têm a ver com a cultura da empresa, por exemplo, acarreta choque entre as duas realidades e uma possível desmotivação do trabalhador.

Além disso, o momento de recrutamento e seleção é a hora ideal de prestar atenção ao perfil do profissional: comprometimento, pontualidade, assiduidade e responsabilidade são características fundamentais para qualquer cargo!

5 passos para diminuir o absenteísmo no trabalho

É possível, sim, evitar, diminuir ou até mesmo eliminar o absenteísmo no trabalho. Veja alguns passos:

1. Invista em ergonomia e bem-estar do funcionário

A ergonomia diz respeito a relação do homem com o seu ambiente laboral. É possível melhorar esse aspecto da vida do funcionário prestando atenção ao seu ambiente de trabalho: as cadeiras são confortáveis? As mesas são adequadas à altura do trabalhador? Os equipamentos de proteção individual estão sendo usados adequadamente?

Esse investimento, junto com programas que promovem a qualidade de vida e a saúde dos funcionários, evita acidentes e doenças de trabalho.

2. Ofereça benefícios como plano de saúde de qualidade

A prevenção é a melhor forma de evitar o absenteísmo, mas é possível combater o problema quando ele está acontecendo. Uma ferramenta para isso são os planos de saúde, que contribuem para melhorar a qualidade de vida do trabalhador, na medida em que podem ser utilizados para identificar e tratar possíveis transtornos.

Oferecer um bom plano de saúde como benefício não será um gasto desnecessário ou um estímulo às saídas médicas, como muitos pensam, mas sim uma forma de fortalecer o maior patrimônio de uma empresa: os recursos humanos.

Outra medida que pode ter um bom custo benefício é a concessão do auxílio-creche ou mesmo a construção de berçários próximos aos locais de trabalho.

3. Incentive uma alimentação de qualidade

Ter uma alimentação balanceada influencia diretamente na saúde dos profissionais e pode evitar ausências motivadas por quadros de saúde comprometida ou afastamentos por doenças mais graves.

A empresa pode e deve ajudar nessa busca por uma mesa mais saudável. Uma forma de fazer isso é oferecendo cesta básica aos colaboradores, com produtos de qualidade que possam influenciar a boa alimentação.

Outra vantagem de dar cestas básicas é que esse benefício corporativo alivia o bolso dos profissionais da organização, eliminando um pouco da preocupação financeira que gera o estresse. Junto a isso, esse é um ato de valorização que pode gerar maior engajamento e satisfação dos funcionários.

4. Mantenha a empresa aberta ao diálogo

A origem do problema do absenteísmo pode estar na falta de abertura ao diálogo entre organização e colaborador. Muitas vezes, medidas simples e eficazes poderiam ser adotadas com uma conversa direta.

É preciso questionar aos funcionários sobre os fatores que eles acreditam estar prejudicando a sua produtividade, dar ouvidos às suas reivindicações e atendê-las quando gerarem benefícios para ambos os lados.

5. Flexibilize a jornada de trabalho

Aquele excesso de horas extras é realmente necessário? Às vezes, é possível flexibilizar o horário de trabalho, incentivando uma melhor gestão do tempo dos funcionários, inclusive para que possam se dedicar à família e a si mesmos.

Isso facilita a vida de mães e pais que possuem dificuldades de conciliar a alta carga de trabalho com a vida familiar. Desde que essa flexibilidade não signifique uma precarização do trabalho, pode ser uma boa opção para a empresa.

Que tal identificar em sua organização as causas do absenteísmo no trabalho por meio de pesquisas de clima organizacional e de satisfação entre os funcionários? É importante manter um diálogo aberto entre gestores e colaboradores. Esse é o primeiro passo para o entendimento e solução desse problema!

Este artigo foi útil para você? Então, pode ser útil para outras pessoas também! Compartilhe em suas redes sociais e ajude mais pessoas a descobrir como é possível evitar o absenteísmo no trabalho!

Compartilhe:
escrito por
Cesta Nobre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

O papel do RH na pandemia do coronavírus

Baixe o Ebook Não, obrigado