?>
Gestão de Negócios

Saiba como a reforma trabalhista pode impactar o seu negócio

Tempo de leitura estimado: 5 min.

O presidente Michel Temer sancionou, no dia 13 de julho de 2017, um conjunto de alterações na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Essas mudanças, que ficaram conhecidas como reforma trabalhista, eram desejadas, principalmente, pelo setor empresarial. O ano de 2018 já iniciou com elas em vigor.

Entre as alterações aprovadas, podemos citar a flexibilização das negociações entre empresas e funcionários para a jornada de trabalho, a regulamentação do home office e o estabelecimento de novas modalidades de contrato — como o ganho por produção. Quer saber como essas mudanças afetam a sua empresa?

Continue a leitura e saiba como a reforma trabalhista pode impactar o seu negócio.

Esteja pronto para negociar

A vigência da reforma trabalhista estabeleceu a flexibilização de algumas regras existentes na Consolidação das Leis do Trabalho. Agora, empresas e funcionários podem sentar e debater questões como o banco de horas, intervalo do almoço e duração da jornada de trabalho. O que for acordado nesses e em mais 13 pontos, pode valer mais do que a CLT.

Esse é um dos pontos de maior destaque na nova legislação trabalhista. Trata-se de uma maior liberdade de negociação entre empregador e empregados. Isso não tem precedentes, pois, até o fim de 2017, bastava que os gestores da empresa aplicassem as regras presentes na CLT.

Criou-se, com isso, a necessidade de projetar cenários que sejam favoráveis tanto para a empresa quanto os seus colaboradores. As lideranças estão preparadas para negociar com os funcionários? Além dos acordos coletivos, existem alguns que são individuais, ou seja, regras que podem não ser cumpridas por todo mundo.

Saiba lidar com as novas demandas

A reforma trabalhista possibilitou a regulamentação de diversas práticas que trabalhadores e empresários demandavam. Isso permitiu trazer modernidade ao relacionamento entre patrões e empregados, entretanto, exige das organizações o conhecimento necessário para saber lidar com essas novidades.

Na mesma empresa, pode haver o funcionário que faz um determinado horário, outro que trabalha de casa e aquele que só ganha por produção. Parece muita informação para administrar? Sim, e saiba que tudo isso e muito mais agora está sendo amparado pela lei. Logo, esse é o momento ideal para analisar o cenário e saber como agir.

As jornadas de trabalho, por exemplo, podem ser parciais, intermitentes, remotas e até terceirizadas. A definição delas deve fazer parte da estratégia do seu negócio, respeitando as características e necessidades dele. Além disso, existe a necessidade de negociar isso com os trabalhadores.

Prepare-se para as novas formalidades

Até o fim do ano passado, o home office não era regulamentado, portanto, essa era uma prática na qual cada empresa determinava, em comum acordo com os seus funcionários, as melhores possibilidades. O fato é que ela passou a ser regulamentada, exigindo o cumprimento de algumas regras.

Esse tipo de mudança faz com que a sua empresa esteja preparada. No caso do home office, deve ser estabelecido um contrato individual de trabalho que apresente todas as especificações da atuação remota de cada colaborador. Nele, devem ser definidos quem paga o quê e como a jornada será controlada a distância.

A questão do trabalho remoto já fez com que muitas ações fossem parar na Justiça, exatamente pela falta de definição — o que levava empresas a exigirem mais que o acordo verbal. Essa mudança pode significar o aumento da burocracia na definição dessa modalidade do trabalho, portanto, é bom permanecer atento e dentro da lei.

Estabeleça um controle mais rígido

As mudanças que vieram por meio da reforma trabalhista obriga as empresas a estabelecerem um controle mais rígido dos seus contratos. A garantia do cumprimento passa a ser uma das missões da área de Recursos Humanos que, como setor estratégico para o negócio, deve ajudar a identificar oportunidades.

As ferramentas tecnológicas devem ser usadas nesse controle, afinal, as chances de errar ou gerar retrabalho são maiores quando os processos são manuais. Automatizados, eles garantem a geração de relatórios com mais rapidez e identificam quando algum ponto está se distanciando daquilo que foi planejado.

Crie canais de comunicação com os funcionários

Lembre-se que a reforma trabalhista foi alvo de muita polêmica, o que colaborou com a disseminação de informações falsas, distorcidas e desatualizadas. Os seus funcionários, por exemplo, podem estar confusos diante de tantas novidades e a sua empresa precisa alinhar os pontos necessários.

Esse é o momento ideal para que sejam criados canais de comunicação com os colaboradores. Eles precisam ter acesso às informações da reforma trabalhista para que saibam quais são os seus novos direitos e deveres. O estabelecimento dessa ponte pode ser benéfico para ambos os lados.

Cientes dos novos direitos e deveres, os trabalhadores serão mais objetivos naqueles aspectos que podem ser negociados — evitando ruídos na comunicação e prejuízos no clima organizacional. Já a empresa pode reforçar o quanto ela se preocupa com todos e está se esforçando para cumprir a nova legislação.

Avalie os cenários favoráveis para a empresa

Todas as possibilidades que a reforma trabalhista traz acabam mexendo com o planejamento organizacional e estratégico das empresas. Diante de novas opções que envolvem jornadas e contratos de trabalho, os gestores precisam avaliar os cenários que são favoráveis para o negócio — causando menos impactos financeiros.

As decisões que serão tomadas de agora em diante precisam ser bem pensadas, pois, o que à primeira vista parece ser barato, pode sair caro. Será que o trabalhador que atua remotamente custa menos para a empresa? A resposta para essa pergunta depende das condições do seu negócio.

Faz-se necessário reunir todas as lideranças da companhia para que, juntos, consigam estabelecer uma visão ampla sobre as mudanças e os impactos dela. Uma vez que cada empresa tem as suas próprias características, as alterações na CLT serão sentidas de forma diferente em cada organização.

As variáveis que surgem a partir do estabelecimento dos cenários e que a reforma trabalhista trouxe para o mercado precisam ser avaliadas com bastante atenção. Se isso não ocorrer, o impacto esperado no seu negócio pode não ser tão positivo quanto se espera e representar, ao mesmo tempo, um aumento nos custos e uma diminuição na produtividade da equipe.

Ficou com alguma dúvida sobre as informações compartilhadas neste artigo ou quer dividir conosco a sua opinião? Aproveite o espaço e deixe o seu comentário!

Renato XavierPublicado Por:
Renato Xavier- Diretor de Operações e Marketing

Compartilhe:
escrito por
Renato Xavier
Diretor de Operações e Marketing

Uma resposta para “Saiba como a reforma trabalhista pode impactar o seu negócio”

  1. Avatar 쿠쿠티비 disse:

    75797 164230i always enjoy to do blog hopping and i stumbled upon your weblog .”~; 721361

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Guia dos principais benefícios para oferecer para funcionários

Baixe o Ebook Não, obrigado