?>
Gestão de Pessoas

Como ter um bom processo de recrutamento e seleção de pessoas?

Tempo de leitura estimado: 5 min.

Toda empresa almeja ter uma equipe capacitada e engajada nos seus objetivos, não é mesmo? Para isso, é fundamental escolher os candidatos certos ainda no processo de recrutamento e seleção de pessoas. Afinal, o mercado é bem diverso, com profissionais de todos os estilos.

Além da capacitação exigida, deve-se considerar também as características comportamentais mais adequadas ao perfil exigido para cada vaga. Aliás, um processo bem-feito nesse sentido é necessário até para reduzir custos com contratações equivocadas.

Mesmo que faça parte da rotina do setor de Recursos Humanos de qualquer organização, nem sempre esse processo é simples. Pensando nisso, separamos neste post algumas dicas de como fazer recrutamento e seleção de pessoas da maneira mais efetiva. Interessado? Então, acompanhe a seguir!

Defina o perfil adequado para a vaga

Às vezes, quando uma empresa não consegue encontrar o candidato ideal, o problema está na própria definição da vaga. Mesmo depois de selecionado, o profissional pode não atender às expectativas da organização por uma série de fatores, mas, principalmente, por não estar de acordo com o perfil comportamental ideal para aquela posição.

A pessoa pode ter toda a capacidade técnica necessária sem se adaptar à cultura organizacional, ou mesmo ter características subjetivas conflitantes. É o caso de profissionais com uma boa formação em gestão de negócios que, por outro lado, não são bons líderes. Tudo isso sem contar questões relacionadas ao relacionamento interpessoal, comunicabilidade, agilidade, entre outras.

Portanto, antes de fazer o recrutamento e seleção de pessoas, é fundamental definir bem o perfil mais adequado — e, de preferência, incluir essas características no anúncio. Lembre-se: o processo precisa ser voltado para a identificação do perfil do candidato em todas as etapas.

Verifique a possibilidade de um recrutamento interno

Antes de abrir o recrutamento fora da organização, considere um processo interno! Dependendo do cargo e da profissão, é possível que já existam pessoas qualificadas para a vaga dentro da empresa, ainda que não tenham a experiência exigida.

Em primeiro lugar, um processo interno é bem mais simples, ágil e barato, tendo em vista que as pessoas já são conhecidas pelos recrutadores. Mais do que isso, porém, esse é um meio de encontrar profissionais que já conhecem o seu funcionamento e estão alinhados aos objetivos e à cultura da organização.

Além disso, o recrutamento interno também é uma forma de dar mais oportunidade de crescimento para os seus colaboradores. Assim, eles percebem uma valorização do seu trabalho, sentindo-se mais motivados.

Escolha bons canais para a divulgação das vagas

Caso não seja possível contratar alguém internamente, o processo de recrutamento e seleção de pessoas deve mesmo se tornar público. Para isso, contudo, é necessário divulgar as vagas de maneira eficiente — não adianta tentar uma grande visibilidade se o anúncio não atingir os profissionais interessados.

Essa publicação pode ser feita em sites especializados, que têm a vantagem de direcionar as buscas dos usuários com uma boa navegabilidade. Por outro lado, eles podem ser limitados, ao restringirem o acesso dos profissionais. Por isso, antes de contratar qualquer solução desse tipo, é bom avaliar as suas vantagens e se a ferramenta é adequada para as vagas que você deseja divulgar.

Outra maneira que tem se mostrado bastante eficiente para o recrutamento é a divulgação em mídias sociais. Nesse caso, dá para procurar grupos específicos no WhatsApp, Facebook e Instagram, voltados para cada área profissional e a localização. Já o LinkedIn permite ainda que os recrutadores façam buscas de acordo com o perfil desejado.

Construa um processo de recrutamento e seleção de pessoas

Bom, com tudo isso definido, é hora de começar o processo em si. Para torná-lo mais eficiente, separamos a seguir algumas dicas, conforme as etapas mais usadas.

Triagem de currículos

O processo começa ainda na separação dos currículos. Para facilitá-lo, tenha um e-mail separado para o recebimento — só tenha cuidado para não ser indelicado ou antipático na hora de responder, pois isso pode repelir os melhores candidatos.

Na própria descrição da vaga, tente detalhar as competências e experiências necessárias, deixando tudo muito claro para evitar que sejam enviados currículos fora do perfil. Peça para que os candidatos coloquem as informações básicas no corpo do e-mail e o cargo no seu assunto.

Testes de conhecimento

Os testes são muito bons para avaliar o nível de conhecimento dos candidatos. Porém, eles só devem ser pedidos se forem realmente importantes para a função. Se, por exemplo, o funcionário não falará em inglês em nenhum momento no trabalho, não é necessário testar o idioma. O melhor é realizar exames específicos da área, ou ainda para dimensionar o nível de conhecimento em um determinado tema relacionado ao trabalho.

Dinâmica de grupo

As dinâmicas de grupo são muito interessantes para avaliar o comportamento dos candidatos — desde que sejam bem aplicadas. É muito difícil, por exemplo, conhecer as pessoas em grupos muito grandes. É melhor conversar com, no máximo, 5 pessoas, até para facilitar o trabalho do recrutador. Além disso, o processo deve ter uma finalidade clara, inclusive para os participantes.

Entrevistas

Essa costuma ser a etapa mais controversa de um processo de recrutamento e seleção de pessoas. Afinal, ele dependerá muito da empresa e do recrutador.

No geral, ele deve ser sempre pertinente à vaga — não há sentido aqui em fazer perguntas invasivas ou que fujam do assunto. O ideal, portanto, é preparar um roteiro, até para o processo ser justo com todos os candidatos. Outro detalhe é tentar marcar as entrevistas em um mesmo dia, para evitar muitos deslocamentos para a empresa. Isso gera uma economia de tempo e dinheiro tanto para a organização quanto para os candidatos.

Uma forma de simplificar essas entrevistas (e o processo como um todo) é fazer algumas etapas on-line. Existem hoje ferramentas que realizam testes e até a triagem de currículos de acordo com o perfil desejado. As entrevistas, pelo menos as primeiras, podem ser feitas por telefone por videoconferência.

Finalização

Depois de encerrado o processo, é bom dar um retorno, ao menos, para aqueles que passaram da triagem de currículos. Os candidatos que realizaram as entrevistas finais podem ter um feedback mais completo. Até porque é importante ter em mente que um recrutamento ruim pode prejudicar a reputação da empresa no mercado profissional.

Enfim, como vimos, é fundamental levar a sério o processo de recrutamento e seleção, pondo em prática medidas que garantam a sua eficiência e reduzam os seus custos. Por sinal, outro cuidado que a empresa precisa ter é o de manter uma boa imagem institucional. De nada adianta oferecer bons salários e benefícios, realizar um processo complexo, se os profissionais não confiarem na reputação da organização, certo? Pense nisso!

Agora, queremos saber de você! Gostou do post? Como você acredita que é possível melhorar o processo de recrutamento e seleção de pessoas na sua empresa? Deixe-nos o seu comentário ou dúvida e participe da discussão!

Luciana XavierPublicado Por:
Luciana Xavier
Diretora Financeira

Compartilhe:
escrito por
Luciana Xavier

Uma resposta para “Como ter um bom processo de recrutamento e seleção de pessoas?”

  1. […] em contar com a ajuda dos próprios colaboradores da empresa nessa missão? Isso é possível com o recrutamento por indicação de […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

O papel do RH na pandemia do coronavírus

Baixe o Ebook Não, obrigado