?>
Gestão de Pessoas

Descubra agora a importância do comportamento organizacional nas empresas

Tempo de leitura estimado: 5 min.

O comportamento organizacional nas empresas é o conjunto de atitudes praticadas pelos funcionários de uma companhia, no âmbito corporativo, as quais são baseadas em seus costumes. Dessa forma, poderá ser analisado como as pessoas se comportam, considerando sua interação com o local de trabalho.

Para melhor estudá-lo, alguns fatores devem ser observados, como os índices de rotatividade e produtividade, entre outros capazes de indicar a eficácia (ou não) da empresa.

Diante da importância do tema, fizemos este post. Fique conosco para entender mais!

A importância do comportamento organizacional nas empresas

Por meio do estudo do comportamento organizacional nas empresas, é possível melhorar a produtividade, estimular os resultados, reduzir o turnover, aumentar a motivação e avaliar o caminho para o crescimento da companhia.

Além disso, essa análise do comportamento organizacional nas empresas torna as ações mais qualificadas, otimizando os processos delas. Para isso, a empresa deve elaborar uma política de valorização de seus funcionários, gerando um comportamento cada vez mais positivo.

Outro ponto é que, a partir desse conhecimento, certos problemas podem ser evitados, o que contribui para o desenvolvimento de métodos para alcançar resultados positivos e melhorar a comunicação e o entrosamento entre empregadores e empregados.

Tipos de comportamento organizacional

Controlador

É aquele em que o profissional tende a ter controle gerencial, tendo impactos diferentes. Assim, o funcionário pode ser fiel seguidor de normas e regulamentos, sendo rígido e com pouca autonomia. Normalmente, não é o tipo de pessoa adepta a mudanças.

Por sua vez, há também o controlador voltado ao resultado. Ele sempre quer ver resultados, cobrando isso de si mesmo e de sua equipe. É bem presente em ambientes hostis, com a avaliação do funcionário por seu desempenho e resultados.

Responsável

É um dos comportamentos mais desejados pelas empresas, pois o colaborador tem postura de assumir compromissos administrativos e cumpri-los, além de executar todas as obrigações e tarefas que lhe são indicadas, no prazo determinado.

O funcionário tem iniciativa, é proativo, age conforme os objetivos da empresa e termina todas as demandas definidas.

Ético

Ter ética é essencial em todos os setores da sociedade. Nas empresas não é diferente. O funcionário deve observar os princípios morais que orientam o trabalho de uma organização.

Ele precisa agir com responsabilidade, integridade, retidão, respeito ao trabalho dos colegas, equidade e capacidade de reconhecer erros. Ainda, ser ético é cumprir, à risca, todas as tarefas profissionais, obedecendo o padrão que a empresa determinou.

Perseguidor

Esse é um tipo de comportamento destrutivo para as empresas. Isso porque o funcionário importuna e assedia outro, a fim de constrangê-lo, seja por palavras ofensivas ou palavrões, seja por chamar atenção em público.

O perseguidor pode destruir o desempenho e a produtividade no setor de trabalho, bem como gerar problemas de saúde, como depressão e estresse.

Assim, quando se sentirem encurralados, os demais colaboradores devem relatar as situações de assédio aos seus superiores. Quando for o caso, um advogado pode ser procurado para que as devidas providências sejam tomadas.

Processo de avaliação do comportamento organizacional nas empresas

O processo de avaliação do comportamento organizacional nas empresas analisa alguns níveis: individual, grupal e empresarial.

O nível individual considera o perfil do funcionário e sua personalidade e características pessoais, tais como seu modo de trabalhar e desempenhar suas tarefas diárias. Além disso, seu rendimento e sua produtividade são levados em conta, bem como o desempenho de suas funções. Nesse nível, são examinadas competências e habilidades próprias, as quais podem ser desenvolvidas, assim como as motivações do funcionário, que o levam a cumprir seu trabalho com maior excelência.

Por sua vez, o nível grupal diz respeito aos setores e áreas que constituem uma empresa, em especial sobre as relações entre os funcionários e os processos de comunicação, para saber a eficiência e se é necessário melhorá-los. Tudo isso visa tornar o grupo mais unido e eficiente.

Por fim, tem-se o nível empresarial, que trata da estrutura, dos valores e da cultura organizacional, examinando as regras e o ambiente de trabalho.

Ferramentas de avaliação

Para verificar como está o comportamento organizacional nas empresas, podem ser utilizadas ferramentas de avaliação. Veja algumas delas!

Avaliação 360 graus

É uma avaliação completa de um colaborador, por analisar diferentes pontos de vista sobre ele, coletando a opinião de empregadores, funcionários, clientes e colegas de trabalho. Logo, esse profissional vai ser analisado de forma mais holística.

Essa avaliação deve ser conduzida por um profissional de RH e feita de uma forma discreta, para que quem for ouvido não tenha medo de falar o que realmente acha sobre uma pessoa.

Autofeedback

Para avaliar um grupo de trabalho, o autofeedback é ideal para que os profissionais de RH tenham uma visão mais abrangente sobre suas tarefas e seu relacionamento.

Esse tipo de avaliação é dividida em duas partes, sendo a primeira aquela em que o funcionário fala de si mesmo, apresentando seus pontos fracos e fortes. Já na segunda parte, o empregador vai responder um questionário sobre os pontos fracos e fortes de um funcionário específico.

Estudando esses dois pontos de vista, o indivíduo ficará ciente sobre suas habilidades e competências, assim como suas deficiências. Dessa forma, ele poderá melhorar seu desempenho profissional.

Pesquisa de satisfação com o cliente

É uma avaliação feita pelos clientes que já foram atendidos, por meio de uma pesquisa que mede o grau de sua satisfação.

Tal pesquisa pode ser objetiva ou subjetiva, identificando pontos como a abordagem inicial, conhecimento técnico do atendente e atenção recebida. Nesse caso, as falhas do atendimento vão ser reconhecidas, a fim de serem corrigidas.

Avaliação do superior hierárquico

Essa avaliação pauta-se somente na opinião do chefe, que vai considerar comprometimento, conhecimento técnico, honestidade e espírito de equipe.

A grande desvantagem da avaliação do superior é a insegurança para tomada de decisões, pois seu conteúdo é prejudicado pelo relacionamento ruim entre líderes e liderados, além da falta de compreensão do gestor diante dos funcionários.

Como se pode observar, o comportamento organizacional nas empresas é muito importante para seu crescimento. Isso porque, a partir dele, consegue-se manter um ambiente mais saudável e produtivo. Ademais, é possível fortalecer a comunicação entre líderes e liderados, auxiliando a gestão de pessoas e a redução do turnover. Logo, entender esse comportamento é adquirir as informações necessárias para que a empresa ganhe mercado.

Gostou deste post? Então, assine nossa newsletter e receba outras informações por e-mail!

Compartilhe:
escrito por
Cesta Nobre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

O papel do RH na pandemia do coronavírus

Baixe o Ebook Não, obrigado