?>
Gestão de Pessoas

Entenda a relação entre governança corporativa e o RH

Tempo de leitura estimado: 5 min.

Já imaginou o quanto pode ser esquisito participar de um jogo que simplesmente não tem regras? O resultado seria uma verdadeira bagunça. Elas existem para dar sentido às ações, oferecendo agilidade, transparência e autonomia para quem está envolvido com elas. Do ponto de vista organizacional, a falta de regras inviabilizaria os resultados, portanto, devemos entender a relação entre governança corporativa e o RH.

Por mais que elas estejam implícitas no dia a dia do trabalho, incorporadas na dinâmica dele, isso acontece porque houve a instituição delas. Isso aprimora os processos de administração da empresa e é o que definimos como governança corporativa.

Essa ordem na casa é indispensável para qualquer empresa, independentemente do seu porte. E o RH não só pode como deve promover a sua integração com ela.

Continue a leitura e entenda a relação entre governança corporativa e o RH.

Os princípios básicos da governança corporativa

Caracterizada como o sistema pelo qual as empresas são dirigidas, monitoradas e incentivadas, a governança corporativa define as regras do relacionamento entre todas as partes envolvidas de uma organização.

Ela conta com alguns princípios básicos, que devem ser convertidos em recomendações objetivas.

O primeiro deles é a transparência, liberando para os colaboradores as informações necessárias que norteiam a ação gerencial; o segundo é a equidade, no qual os stakeholders são tratados de modo igualitário; e o terceiro princípio básico é a responsabilidade corporativa, que trabalha o modo como a empresa é percebida todos.

O papel estratégico do RH nas organizações

Já que a governança corporativa ajuda a conduzir as relações entre os colaboradores de uma empresa, o RH deve participar ativamente desse processo.

Como os resultados da organização dependem do modo como é feita a gestão de pessoas, podemos afirmar que a área de Recursos Humanos desempenha um papel estratégico nas organizações.

Diante dessa constatação, deveríamos pensar mais nos motivos que levam o RH a não ter cadeira cativa nos conselhos de administração.

Isso se deve, em parte, à formação do profissional de recursos humanos, que ainda tem uma visão muito focada no humanístico e pouco voltada para o foco estratégico, ou seja, os resultados.

As ações sinérgicas que geram sólidos resultados

Nas empresas, o conjunto de princípios que regem os seus valores vão além das boas práticas. Existe o objetivo de criar uma cultura corporativa que promova o engajamento dos colaboradores por meio da meritocracia, ampliação de conhecimentos, debates que levantem reflexões e que preparem profissionais cada vez melhores.

Quando a empresa investe na ampliação de competências dos seus colaboradores, ela dá o melhor de si e corrige os desvios que atrapalham o seu crescimento.

O RH, nesse contexto, tem um papel de fundamental importância, pois ele tem a capacidade de criar e gerenciar ações que melhoram o clima e a cultura organizacional.

A relação entre governança corporativa e o RH se trata do passo necessário para que cada organização cresça sustentavelmente, reduzindo os custos por causa do alto índice de turnover e promovendo a fidelização dos seus talentos. Isso ajuda, inclusive, a melhorar a percepção da empresa no mercado.

Um dos resultados desse trabalho conjunto é a criação de equipes de alta performance, produtivas o suficiente para fazer sempre mais com menos recursos. Saiba mais sobre o assunto neste artigo.

Renato Xavier Publicado Por:
Renato Xavier- Diretor de Operações e Marketing

Compartilhe:
escrito por
Renato Xavier
Diretor de Operações e Marketing

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Guia dos principais benefícios para oferecer para funcionários

Baixe o Ebook Não, obrigado