?>
Educação Executiva

6 habilidades comportamentais essenciais para novos funcionários

Tempo de leitura estimado: 5 min.

Preencher o quadro de colaboradores não é tarefa fácil para nenhum gestor. Precisa-se organizar processos seletivos, estabelecer descrição dos cargos a serem ocupados e descrever as habilidades que serão precisas para exercer a função.

O gestor precisa fazer uma seleção de competências, observando as habilidades comportamentais. Essas habilidades são atitudes, comportamentos e sentimentos que o colaborador demonstra nas suas relações no ambiente empresarial e social, que podem vão determinar se ele é o funcionário adequado para uma função ou não.

Como gestor, você precisa aprender a reconhecer as habilidades comportamentais que o colaborador precisa ter e como elas irão contribuir para o crescimento da empresa. Quer saber o que observar? Fique conosco e saiba mais!

1. Boa comunicação

Saber se comunicar é muito importante para o desenvolvimento de um bom profissional. Mais que apenas conversar, é necessário que ele consiga comunicar em diferentes canais e com diferentes grupos de pessoas, equipes, gestores e fornecedores, por exemplo.

Por essa razão, observe se o colaborador tem domínio da linguagem escrita e oral, que se faça entender. Veja a dicção, o vocabulário e se consegue transferir seus pensamentos de forma clara, objetiva e transparente.

Outro ponto a ser considerado é qual o tipo de comunicação empresarial que o colaborador possui, afinal de contas vai precisar de uma escrita persuasiva, para lidar no mundo dos negócios.

Lembre-se que uma boa comunicação evita falhas nos processos e melhora o relacionamento entre os funcionários e os gestores. É primordial que o colaborador se faça entender!

2. Liderança

Por anos, um colaborador que tinha instinto de liderança era mal visto nas empresas. Contudo, esse cenário mudou e hoje os colaboradores-líderes têm papel fundamental no crescimento da empresa, principalmente ao facilitar a comunicação entre gestores e funcionários.

Assim, durante um processo de seleção, busque alguém que, além de saber comandar um equipe, demonstre empatia pelos outros, esteja aberto ao diálogo e não tenha medo de assumir riscos.

Um bom líder precisa ser resiliente e autocrítico, e deve buscar o desenvolvimento dos outros como busca o seu, agindo como um exemplo a ser seguido.

A liderança é a habilidade que influencia muito o clima organizacional e pode ajudar na produtividade e motivação de seus colegas de trabalho, já que o colaborador que age como líder engaja todos nas tarefas do dia a dia.

3. Trabalho em equipe

Para que haja harmonia e maior produtividade, o colaborador deve ter a habilidade de trabalhar em grupo. Para perceber quem realmente sabe trabalhar em grupo, aconselhamos que sejam feitas dinâmicas, no momento de seleção.

Dessa forma, vai ser possível analisar se o candidato tem a capacidade de ouvir e negociar com os outros, bom relacionamento e trato aos colegas, além de bom convívio com a diversidade da equipe.

O colaborador que entendem a importância de trabalhar em grupo ganha destaque no mercado, pois hoje a divisão de tarefas em equipes menores são fundamentais nos processos das organizações. Assim, os objetivos da empresa são conquistados e um trabalho de excelência é feito.

Equipes organizadas e que estão em sintonia são mais produtivas e motivadas, o que faz com que a empresa alcance ótimos resultados e prospere cada vez mais.

4. Flexibilidade

A flexibilidade no mercado de trabalho tem sido cada vez mais valorizada. Isso porque pessoas que não tem medo da mudança, adaptam-se facilmente a elas. No mundo tão dinâmico como o nosso, ter a habilidade de se transformar é fundamental para sua sobrevivência, assim como da empresa.

O colaborador que tem flexibilidade se adapta rapidamente às alterações do mercado, surgimento de novas necessidades e problemas, focando em apresentar soluções inovadoras para essas novas demandas.

Logo, ao perceber as transformações, o colaborador ajusta suas velas e passa a navegar no oceano do sucesso. Ele vê nessas mudanças boas oportunidades de crescimento.

No local de trabalho, a pessoa flexível tem facilidade em aceitar novas estratégias ou mudança de função, busca atualizações e novos conhecimentos, é multidisciplinar e transita no mundo digital com tranquilidade.

Além disso, o colaborar que tenha flexibilidade lida melhor com as adversidades do mercado, aberto ao diálogo, quer aprender e transmitir conhecimento, cria estratégias e usa os recursos da empresa com responsabilidade, para torná-la competitiva e com um diferencial.

5. Negociação

Para as empresas, a habilidade em negociação é primordial, principalmente com clientes e fornecedores. O colaborador deve ser expert em negociar, visando um entendimento pacífico, baseado no diálogo.

É essencial que o colaborador foque no que é ideal para a organização e guie as conversas para alcançar seus melhores interesses, quanto ao prazo de entrega de produto ou realização de serviços, valores e benefícios que vão conseguir.

Vale ressaltar que o colaborador vai precisar fazer negociações internas também, resolvendo conflitos entre funcionários ou até com gestores na base do diálogo, a fim de manter a equipe unida e garantir o sucesso da empresa.

6. Criatividade

A criatividade faz com que o colaborador queira inovar e melhorar todos os procedimentos, propondo soluções para as demandas que a empresa apresenta e criando novas oportunidades.

O colaborador criativo encontra melhores alternativas para problemas internos e é ousado. Por isso, na hora de selecionar o funcionário, o gestor deve apresentar os processos da empresa e pedir ao candidato para sugerir alguma alteração nas etapas que podem melhorar a produtividade.

O gestor deve escolher os candidatos que apresentarem as melhores sugestões. Quando contratá-los, incentive sua criatividade, para que seja usada no desenvolvimento de novos produtos ou serviços, e até otimização no atendimento ao cliente.

Ter um colaborador criativo é contar com um visionário na equipe, que pode contribuir com ideias ousadas que gerem excelentes resultados.

Diante disso, é fato que as habilidades comportamentais de cada colaborador podem ser usadas para o crescimento da empresa. Por essa razão é muito importante que o gestor saiba avaliar os candidatos durante o processo de seleção e recrutamento, analisando suas competências e o que ele tem a agregar para a organização, no cargo que vai trabalhar. O gestor deve sempre buscar talentos que auxiliem no fortalecimento e crescimento da empresa.

Gostou desse post? Então, assine nossa newsletter e receba em seu e-mail mais informações!

Compartilhe:
escrito por
Vinicius Dias
Pós-graduado em Gestão de Marketing Online. Atualmente responsável pela parte de Automação e Marketing Digital da empresa Cesta Nobre, foi gestor da loja online Elementar Bebidas e atuou como Analista de Marketing Digital/Eventos da empresa Ciashop Tecnologia e gerenciou os perfis sociais do Governo do Estado de São Paulo, com ênfase no segmento de Agronegócios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Guia dos principais benefícios para oferecer para funcionários

Baixe o Ebook Não, obrigado