?>
Gestão de Pessoas

Teoria das inteligências múltiplas: o que é, por que é importante e mais!

Tempo de leitura estimado: 5 min.

A definição de pessoas mais ou menos inteligentes começa desde a infância. Geralmente, utilizam-se parâmetros como notas na escola, desempenho em provas e resolução de problemas para escolher o destaque da turma. No entanto, esse pensamento não valoriza as inteligências múltiplas.

A teoria das inteligências múltiplas surge justamente para explicar que a inteligência abrange diferentes áreas. Ou seja, o indivíduo pode não ter uma profunda habilidade com questões lógicas, mas pode apresentar um desempenho exemplar com linguística, situações interpessoal e intrapessoal etc.

Sendo assim, conhecer essa teoria será um passo importante para que você saiba como potencializar a atuação de seus colaboradores. Quer saber mais sobre o assunto? Então, continue a leitura e entenda como ela funciona.

O que é a Teoria das Inteligências Múltiplas?

A teoria das inteligências múltiplas foi criada pelo psicólogo Howard Gardner na década de 90. Ele acredita que a inteligência pode ser abordada por vários aspectos e que os indivíduos possuem diferentes tipos de mentes, assim, apresentando diferentes inteligências.

A lista criada por ele não é única e universalmente aceita, mas tenta abranger a maior parte das competências valorizadas nas sociedades. Saiba mais sobre cada uma delas abaixo!

Lógico-matemática

Diz respeito ao raciocínio lógico e a capacidade de utilizar números, organizar, hierarquizar e sistematizar. É considerada por muitos como o eixo principal da inteligência e uma das mais valorizadas durante a formação escolar.

Profissionais com essa característica costumam apresentar maior facilidade para resolver problemas complexos que envolvam números.

Espacial

É a habilidade de observar e captar com precisão o mundo visual e espacial e realizar mudanças nele. As pessoas com essa inteligência desenvolvida conseguem encontrar caminhos, decorar ambientes, organizar objetos e elementos de forma harmônica.

Musical

Essa inteligência está ligada com a capacidade de perceber e expressar formas musicais. Essa qualidade é percebida principalmente em músicos, que reconhecem notas, reproduzem sons e criam melodias e, ainda, em outros profissionais da área, como produtores.

Linguística

Essa é outra inteligência bastante valorizada e desenvolvida durante a fase escolar. Ela está relacionada à capacidade que o indivíduo tem de se expressar de forma efetiva, por meio de palavras ditas ou escritas, e de entender o que está lendo ou ouvindo.

Interpessoal e Intrapessoal

A inteligência interpessoal diz respeito à relação com o outro, a habilidade de comunicar-se, de perceber as emoções do outro e ter empatia. Já a intrapessoal está voltada para o autoconhecimento e a percepção de si mesmo, sendo significativa para qualquer área de atuação. Pessoas com essa inteligência conseguem agir e se adaptar mais facilmente.

Essas duas inteligências podem ser vistas como base para a inteligência emocional, que é bastante relevante no meio corporativo. O conceito surgiu na década de 90 e está relacionado com a capacidade de lidar com emoções.

Corporal-cinestésica

É a habilidade para usar o corpo ou parte dele para expressar sentimentos ou realizar ações.

Em um primeiro momento pode parecer exclusiva de atletas, atores e dançarinos, mas ela também é significativa para cirurgiões e outras profissões que necessitam de ampla capacidade motora.

Naturalística

A inteligência naturalística diz respeito a qualidade de se conectar com o meio ambiente. São pessoas que demonstram facilidade e maior integração com plantas e animais, o que acontece, por exemplo, com ambientalistas, engenheiros florestais, biólogos e veterinários.

Existencial

Essa inteligência está relacionada com a capacidade do indivíduo de refletir sobre a própria existência.

Ela pode ser um pouco parecida com a inteligência intrapessoal, mas ainda está ligada com a atuação de filósofos, professores, palestrantes e outras profissões que tenham como um dos objetivos instigar as pessoas.

Por que essa teoria é importante?

Gardner afirma que a inteligência acadêmica não pode ser o fator decisivo para definir uma pessoa. Isso significa que a sociedade precisa levar em consideração as outras habilidades e começar a valorizá-las.

Reconhecer a teoria das inteligências múltiplas é importante, pois diminui o preconceito e abre oportunidades para as pessoas que têm uma inteligência lógico-matemática menor (que costuma ser o aspecto mais valorizado).

Ao adotar esse conceito, é possível entender que as pessoas aprendem de forma diferente e, assim, abrir portas para outras inteligências e para traçar novos caminhos de aprendizado.

As escolas normalmente priorizam mais o desenvolvimento das inteligências lógico-matemática e linguística, entretanto, as atividades multidisciplinares também são positivas. Atividades de dança, música e artes plásticas, jogos cooperativos e estímulo à interação com a natureza são exemplos de ações que ajudam a ampliar outras inteligências.

Quais os benefícios da teoria das inteligências múltiplas para as empresas?

No ambiente de trabalho, os gestores devem se basear na teoria das inteligências múltiplas para avaliar quais delas cada funcionário tem em maior evidência, e não assumir, simplesmente, que existem pessoas inteligentes e outras não.

Ao saber as inteligências de cada pessoa, é possível direcionar as atividades de acordo com as habilidades de cada um e, consequentemente, facilitar os processos e aumentar a produtividade da empresa. Por exemplo, um funcionário com as inteligências interpessoal e linguística bem desenvolvidas pode ser direcionado para atendimento ao cliente ou vendas.

Além disso, ter profissionais com perfis diversos, com inteligências, costumes e culturas diferentes, é bastante positivo e contribui com o desempenho da equipe, a resolução de problemas, entre outras situações.

Como incentivar o desenvolvimento das inteligências múltiplas?

A escola tem um papel significativo para o desenvolvimento das inteligências múltiplas, adotando atividades multidisciplinares que incentivem as capacidades intelectuais dos alunos gradativamente.

Contudo, isso também pode ser feito na vida adulta. Os gestores podem aplicar algumas medidas para identificar as inteligências múltiplas dos profissionais e buscar estratégias para desenvolvê-las.

Uma delas é a análise do perfil comportamental. Isso pode ser feito com testes e uso de softwares que ajudam a descobrir as características, as forças e as fraquezas, bem como as inteligências mais desenvolvidas em cada colaborador.

A ação é positiva para ter o profissional certo na função certa. Um colaborador com um perfil lógico, provavelmente, se sairá melhor em tarefas sistemáticas do que aquele que tem um perfil interpessoal ou linguístico.

Além disso, o próprio funcionário pode investir no autoconhecimento e analisar as suas características para descobrir quais inteligências ele tem, de forma a colocar o seu foco nelas e se beneficiar na vida profissional e pessoal.

Utilizar a teoria das inteligências múltiplas no dia a dia ajuda cada um a se conhecer melhor, desenvolver suas competências e manter-se motivado. O essencial é lembrar que nenhuma inteligência é mais importante que a outra, e todas têm a sua aplicação no nosso cotidiano.

Gostou de saber mais sobre inteligências múltiplas? Quer receber outros conteúdos sobre RH e carreira? Então, siga-nos nas redes sociais para não perder as próximas publicações! Estamos no Facebook e LinkedIn!

Compartilhe:
escrito por
Cesta Nobre

2 respostas para “Teoria das inteligências múltiplas: o que é, por que é importante e mais!”

  1. […] prazo, esforço para entregá-las, número de revisões, dentre outros critérios que interferem na inteligência do […]

  2. 388871 437100Vi ringrazio, ho trovato che quanto scritto non sia completamente corretto 371487

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Guia dos principais benefícios para oferecer para funcionários

Baixe o Ebook Não, obrigado